quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Dois barcos

Falta óleo, sobra bolha nos pés.
Nós, péssimos olhos, vivendo nessa bolha sem pé nem cabeça.
Não te vejo porque já não te toco, nem sinto.
Caminho e o caminho nubla, corro e a chuva inunda.
Só penso em mim, porque é o tempo que tenho pra fazer.